Você conhece o cobogó?

Por nome, talvez não, mas eu aposto que você já deve ter visto mais de um, por aí.

Os cobogós, como são conhecidos na sua região de origem, o nordeste, surgiram em meados da década de 20, criados por três engenheiros de Recife, que também deram nome à invenção (Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio de Góis). Apesar disso, só foram se popularizar por volta das décadas de 50 e 60, quando grande maioria das casas possuía essa arquitetura, inicialmente fabricada a partir do cimento, e que hoje é encontrada em vidro, porcelana, cerâmica, gesso, madeira e, até mesmo, em mármore.

Ainda não consegue se familiarizar com o assunto? Não se preocupe. É fácil reconhecer um cobogó em edifícios espalhados pela cidade, ainda mais agora, que sua utilização voltou a ser valorizada, como a muito não se via.

Esses blocos são comumente usados como fechamento nas fachadas, exercendo função intermediária entre a parede fechada e o vidro.

Resumindo, o cobogó, tecnicamente chamado de “elemento vazado”, é aquela estrutura perfurada, semelhante a uma parede, que pode ser utilizada em casas (dentro ou fora, no quintal, por exemplo), edifícios, restaurantes e diversos outros ambientes, com a finalidade de proporcionar constante ventilação e permitir, sutilmente, a entrada de luz solar, conferindo uma decoração quase que natural ao espaço em questão, ao mesmo tempo em que adiciona privacidade aos usuários do lugar.

Comentários

Perguntas realizadas para: "Você conhece o cobogó?"

  Mostrar Comentários
Distel Telhas Disse:

Ana,
No menu do site há um botão chamado ‘Fale Conosco’, você pode cotar os Blocos Vazados conosco!

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categoria

Últimas Publicações

Solicite um Orçamento